Fundo liderado pela Bozano faz aporte de capital na EAC Software

face1

Recursos serão utilizados no lançamento de novos produtos e expansão comercial. A EAC prevê forte crescimento em 2018.


A EAC Software foi escolhida, entre mais de 100 opções analisadas, para receber um aporte de capital do Criatec 2, fundo gerido pela Bozano Investimentos. Especializada no segmento do varejo e focada nas redes de móveis, eletroeletrônicos, autopeças, construção, moda e calçados. “O aporte chega para acelerar a introdução de produtos inovadores e para dar suporte a um forte plano de crescimento”, explica Cléber Piçarro, diretor da EAC.


“A EAC se destacou por ter produtos robustos, histórico de inovação, potencial de crescimento e, especialmente, pela capacidade gerencial dos sócios da empresa”, afirma Fernando Wagner da Silva, gestor do Criatec 2 e head do setor de venture capital da Bozano, um dos responsáveis pela escolha da empresa mineira. “Quando se fala em empreendedorismo, é preciso olhar as pessoas que estão à frente do negócio, e na EAC encontramos um grupo de gestores capaz de projetar e executar projetos”, diz ele.


A EAC vem crescendo de forma sustentável por meio de seu software Nérus, desenhado para atender um nicho específico, mas significativo, que são as redes varejistas de 10 a 100 lojas, com atuação regional e faturamento entre 50 e 500 milhões de reais. “São grandes redes de varejo em suas regiões, ainda que desconhecidas nos grandes centros”, diz Piçarro. “Existem mais de 2.000 grupos empresariais com essas características no Brasil”, informa ele.


Um total de 65% do mercado de softwares de gestão de varejo nos segmentos explorados pela EAC é dominado por sistemas desenvolvidos internamente nas empresas ou por fornecedores locais. “Essas soluções são, muitas vezes, uma coleção de soluções reunidas ao longo de anos e não conseguem hoje administrar as mudanças que estão remodelando o varejo brasileiro”, identifica Piçarro. “Há instabilidade de sistema, problemas de integração dentro das redes, riscos fiscais, ineficiência logística, perda de velocidade no negócio e pouca informação de valor.


A oportunidade da EAC está relacionada ao software Nérus, o qual coloca o gestor no comando do seu negócio. “Atuamos de forma muito integrada no caminho crítico do varejo, que é comprar, estocar, transferir, vender e entregar”, diz ele. “Por ser focado em poucos segmentos específicos, o Nérus tem implantação facilitada, totalmente na nuvem, e pode ser customizado rapidamente para incorporar características gerenciais e comerciais específicas de cada cliente. Além disso, estamos estamos inserindo rotinas inteligentes no produto, não encontradas em nenhum outro concorrente próximo”, conclui Piçarro. “É software para varejo com a cara do varejo. Adaptamos o software ao negócio do Cliente e não o contrário”, finaliza.


Sobre o fundo Criatec 2

Continuação do projeto Criatec lançado pelo BNDES em 2006, o fundo Criatec 2 é gerido nacionalmente pela Bozano Investimentos, e operado pela Triaxis Capital, com seis gestores regionais nas regiões Sudeste, Sul, Centro-Oeste, Norte e Nordeste. O capital comprometido é de R$ 186 milhões e os aportes podem atingir até R$ 10 milhões por companhia, especialmente para suportar o crescimento e a inovação em empresas brasileiras.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Comentários